Fábrica de Tecidos Carioca, uma parte da história do Rio de Janeiro | Cidade do Rio

Cidade do Rio - De braços abertos como o Rio de Janeiro

Fábrica de Tecidos Carioca, uma parte da história do Rio de Janeiro

Publicado por cidadedorio em 05/03/13 | Rio

fabrica-carioca

A região do Jardim Botânico, sempre é lembrada pelo parque construído por D. João VI, e que até hoje encanta cariocas e turistas, principalmente por sua coleção de palmeiras imperiais.

No bairro há também um Jockey Club, uma Hípica, o Parque Lage, mas o que pouca gente sabe é que o bairro do Jardim Botânico – Horto foi no passado uma grande fazenda de café, e que pertencia a Rodrigo de Freitas.

Indo um pouco mais a diante, vamos chegar a uma parte da história pouco contada e que passa despercebida.

É a história da Fábrica de Tecidos Carioca e das Vilas Operárias do Horto. Se você passar pela região vai ainda encontra construções que lembram estas vila.

Nós sempre passávamos por algumas ruas internas do Jardim Botânico e nos chamava a atenção conjunto de casas, bem antigas, mas não imaginávamos que haviam Vilas Operárias na Zona Sul do Rio, que dirá uma fábrica de tecidos.

Segundo o Museu do Horto:

“Em 1890 foi fundada a Companhia de Fiação e tecelagem Carioca, mais conhecida como Fábrica Carioca e em 1920 a América Fabril, uma instituição de maior porte e mais nacional comprou a primeira. Também na região da Chácara de Algodão funcionou a Companhia de Saneamento desde 1889. Havia duas vilas operárias diferentes: a vila dos operários da Fábrica Carioca, composta por 132 casa em 1921, e a Vila Sauer, de propriedade da Companhia de Saneamento, cuja construção se iniciou em 1891 e se compunha por 89 casas para famílias operárias e 22 cômodos para solteiros, estes situados em um mesmo prédio da rua Abreu Fialho.”

Hoje parte destas vilas estão sendo revitalizadas com restaurantes, bares, e ateliês de artistas.