Melanoma Brasil inicia campanha | Cidade do Rio

Cidade do Rio - De braços abertos como o Rio de Janeiro

Melanoma Brasil inicia campanha contra o tipo mais agressivo de câncer de pele

Publicado por cidadedorio em 04/05/17 | Eventos

Divulgação_Flavia_Alessandra01170502_150325

O Câncer e em especial o câncer de pele tem dizima milhares de homens, mulheres, crianças no mundo. Esta doença te avançado bastante no Brasil pela falta de prevenção ou conhecimento das pessoas sobre o assunto. Nós do site Cidade do Rio que já tivemos pessoas próximas vítimas desta doença, apoiamos o combate ao Melanoma no Brasil.

Maio é o mês internacional de combate ao melanoma, o tipo de câncer de pele mais agressivo e letal que existe. Para disseminar conhecimento sobre o tema, ressaltando a importância da prevenção e do diagnóstico precoce, o Instituto Melanoma Brasil aproveita o período para iniciar sua campanha anual com uma série de atividades. A iniciativa envolve ações de comunicação, palestras presenciais e online e conteúdo nas redes sociais.

Considerada uma das principais frentes do Instituto, a campanha de comunicação conta com duas abordagens: “Eu senti na pele” e “Eu protejo minha pele”. Em formato de ensaio fotográfico, ambas serão veiculadas em meios de comunicação de todo o Brasil e também nas redes sociais do Instituto. A primeira é estrelada por pacientes reais, já diagnosticados, compartilhando suas histórias e mensagens de alerta. Já a segunda é um convite ao engajamento de todos para a proteção do maior órgão do corpo humano e traz a atriz global Flávia Alessandra como embaixadora. Além de Flávia, outras celebridades como a modelo plus size Fluvia Lacerda, e as atrizes Maya Ruiz e Fabi Bang também apóiam a causa.

“Esse movimento faz parte do nosso programa de comunicação e busca mostrar que devemos cuidar da pele durante o ano inteiro, até nas estações mais frias. Além disso, é fundamental para a prevenção da doença e ainda um diagnóstico precoce observar as pintas e manchas que aparecem”, explica Rebecca Montanheiro, presidente e fundadora do Melanoma Brasil.

Segundo informações do Instituto Nacional do Câncer (INCA), só no ano passado, a estimativa de novos casos foi de 5.670, sendo 3 mil em homens e 2.670 em mulheres. Por falta de informação, as pessoas não se preocupam e muitas delas nem imaginam que o câncer de pele pode matar. “Nosso objetivo é contribuir para reduzir o número de novos casos da doença, estimulando entre as pessoas o hábito da proteção da pele e também do autoexame. Queremos também nos tornar cada vez mais atuantes no acolhimento e apoio a pacientes em tratamento e seus familiares em todo o Brasil”, conclui Rebecca.

O câncer de pele é muito comum entre os brasileiros e, sozinho, apresenta mais casos no País do que os outros 17 tipos de tumores, segundo o INCA. O melanoma é um tipo de câncer de pele originado nos melanócitos – células que produzem a melanina, substância responsável pela cor da pele. O melanoma representa apenas 5% dos tumores malignos de pele, mas é o de maior gravidade e mortalidade devido a sua grande capacidade de produzir metástases – quando as células tumorais comprometem outros órgãos tais como fígado, pulmões e cérebro.

Outras atividades do Instituto incluem palestras online, via fanpage do Melanoma Brasil no Facebook, esclarecendo dúvidas sobre a doença para o Grupo de Pacientes já cadastrados. No total serão quatro palestras com profissionais da saúde durante o mês. O tema também será levado para dentro das universidades. Dois debates médicos sobre prevenção, diagnóstico e tratamento clínico acontecerão em Curitiba, na Universidade Positivo, em 11 de maio, e em São Paulo, no dia 29.