Grupo EBX promove debate sobre gestão integrada do território e sustentabilidade | Cidade do Rio

Cidade do Rio - De braços abertos como o Rio de Janeiro

Grupo EBX promove debate sobre gestão integrada do território e sustentabilidade

Publicado por blogcidadedorio em 14/06/12 | Destaques da Home, Site

Por André Delacerda / Diogo Fagundes

Ontem estivemos presentes no evento exclusivo do Grupo EBX do empresário Eike Batista, que reúne especialistas internacionais para debater modelo inovador de gestão socioambiental.

O seminário “Sustentabilidade: Desafios das Empresas do Século XXI – Um Olhar sobre Gestão Integrada de Território” promovido em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Instituto BioAtlântica (IBIO), teve como objetivo debater a Gestão Integrada do Território (GIT) como um modelo inovador de gestão socioambiental.

Estiveram presentes o presidente do Grupo EBX, Eike Batista, e Robson Braga de Andrade, presidente da CNI, além de especialistas multidisciplinares internacionais, como a chinesa Wei Dan, Ph.D em Direito e assessora não governamental do Brasil na Rede Internacional da Concorrência, o holandês Eduardo F.J. de Mulder, geocientista e diretor executivo da Ciências da Terra Matters Foundation, e o português Luiz Oosterbeek, arqueólogo e pró-presidente do Instituto Politécnico de Tomar (IPT).

A mesa redonda foi mediada pelo presidente do Grupo de Trabalho da Prefeitura para a Rio+20, o economista e ecologista Sérgio Besserman Vianna, com a participação do governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia.

Um das ferramentas apresentadas no seminário foi a Gestão Integrada do Território (GIT) um novo modelo de gestão sobre determinado território, que revoluciona o conceito de atuação isolada do poder público e se vale dos princípios do desenvolvimento sustentável. Trata-se de um conjunto de ferramentas que promove a diversidade e a integração social, econômica e ambiental em busca de soluções para o território e as comunidades.

Para gerar a transformação, as ações reforçam a cultura como mais um elemento da sustentabilidade, a necessidade de formação da comunidade, a economia de recursos e a gestão compartilhada de empresas, poder público e sociedade civil. A GIT trabalha com área de ação ampliada e a integração de todos os territórios envolvidos. As ações geram um resultado que pode ser medido por meio da certificação territorial, instrumento inovador que utiliza um conjunto de indicadores sociais, ambientais e econômicos para medir o sucesso do modelo de gestão.

No evento ainda foi lançado o livro “Um Novo Paradigma da Sustentabilidade – Teoria e Práxis da Gestão Integrada de Território”, produzido pelo Instituto BioAtlântica (IBIO), com o patrocínio do Grupo EBX e da Confederação Nacional da Indústria (CNI), surgiu depois da parceria entre o IBIO e o Instituto Politécnico de Tomar (ITP), que, em 2010, uniram-se para promover o primeiro curso de pós-graduação em Gestão Integrada do Território para o Desenvolvimento Sustentável, realizado pelo IPT e pela Fundação Gorceix, ligada à Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). O curso apoiou as primeiras experiências de GIT no Brasil.

O livro fala sobre a teoria e a prática da GIT, por meio de artigos escritos por especialistas no assunto, selecionados pela visão e pela experiência em transversalidade do conhecimento, o que permitiu que a Gestão Integrada do Território fosse exposta de forma objetiva e prática.

O empresário Eike Batista é autor de um dos artigos do livro. Ele fala sobre a implementação da GIT em São João da Barra, Norte Fluminense, onde está sendo construído o Complexo Industrial do Açu.